Escrever um post sobre o Parque do Carmo é quase uma viagem no tempo. O parque marcou a infância da Carol, que se lembra de correr entre as árvores, brincando de esconde-esconde com a avó, dona Irene, e os primos mais novos.

Já a mãe da Carol, dona Sandra, tem lembranças mais distantes, de quando o parque nem parque era, mas sim uma fazenda, propriedade do empresário Oscar Americano de Caldas Filho. Dessa época, além das boas histórias, restam o prédio sede, de arquitetura colonial, os jardins e o conjunto de lagos, onde podemos observar patos relaxando, como se a cidade não tivesse crescido ao redor daquelas águas.

img_7203

O Parque do Carmo também mostra seu lado fazenda quando visitamos seu cafezal ou o pomar. No entanto, tornou-se famoso por seu bosque de cerejeiras. A comunidade japonesa na região é grande, e as sakuras (flores de cerejeira) desabrocham no inverno. Para celebrar, desde 1978 acontece a Festa das Cerejeiras. Vá e pratique o hanami, um simples ritual nipônico: sente-se e apenas aprecie a beleza das flores. Deixe-se inspirar.

img_7243

Pensando em conhecer o Parque do Carmo? Prepare os sapatos mais confortáveis que tiver e não desanime caso não consiga conhecer o parque todo de uma vez; são quase 15 milhões de metros quadrados! Foram necessárias algumas infâncias para desbravá-lo por completo.

img_7272

Agora queremos saber as histórias que você irá escrever por lá. Histórias com aroma de terra molhada e flor de cerejeira. Conta pra gente?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s